AUM – O cérebro do set iOS


Com o AUM, é possível pressionar um botão e o iPad estar pronto para tocar uma música, conectado ao equipamento externo, com aplicativos chamados, timbres escolhidos e outros ajustes feitos!


Aplicativos musicais para iOS são muitos, eficientes e, em sua maioria, baratos, contudo, com tantas boas possibilidades, a segunda pergunta que um músico faz, depois de saber quais são os aplicativos mais adequados para o seu estilo e trabalho musical, é “como administrar tudo isso?”

Existem vários aplicativos musicais que podem ser usados como administradores de outros aplicativos: os DAW (Digital Audio Workstation) fazem isso. Além de gravarem MIDI e áudio dos aplicativos externos e de seus sons internos, GarageBand, Cubasis, NanoStudio, Audio Evolution, Korg GadGet etc, podem ser usados para criar e chamar sets virtuais. Mas eles são pesados e complexos.

AUM - Teclas E Afins -  Figura 1
Figura 1

Existem também outros “audio & MIDI mixers” como o AudioBus 3, o MIDIflow, o apeMatrix e o poderoso Camelot, um aplicativo novo e repleto de recursos que permite administração de todo um evento musical, desde seleção de aplicativos internos do iPad, instrumentos em hardware externos, repertório e partituras até a iluminação de palco para cada música, que pode ser programada e controlada por ele. Contudo, o AUM Audio Mixer do desenvolvedor Kymatica AB tem vantagens sobre os outros.


O que é AUM?

Roteador de áudio e MIDI com gravador de áudio: a princípio, o aplicativo AUM é isso. Enquanto outros aplicativos desfilam páginas e páginas de parâmetros para ajustar outros engenhos, o AUM tem poucos parâmetros, pois o resto o músico faz nos próprios aplicativos. Por exemplo, ele não precisa definir mensagens MIDI como Control Changes 000 (MSB) e 032 (LSB) mais Program Change para selecionar um timbre, basta escolher o timbre no aplicativo e depois salvar os fluxos em uma sessão no AUM.

AUM - Teclas E Afins - Figura 2
Figura 2

Quando a sessão for aberta, os aplicativos serão chamados com os timbres e outros ajustes selecionados antes da sessão ser salva. O AUM tira uma “foto” de tudo e registra. Ainda assim, alguns ajustes podem ser feitos no próprio AUM para programar um aplicativo externo, como canal MIDI, extensão de notas no teclado (para definir zonas de split e layer) e transposição das notas, além, é claro, do volume.

Todos os aplicativos podem ser utilizados dentro do AUM? Sim, todos os que forem Audio Unit V3 (AUv3) ou Inter-App Audio (Figuras 1 e 2). Esses aparecerão na lista de aplicativos habilitados dentro do AUM. Mas, mesmo alguns que aparecem são limitados para serem programados pelo AUM em relação a tudo que eles fazem sozinhos, como, por exemplo, os aplicativos da Korg e da IK Multimedia. Nesses dois casos específicos, pela abrangência de recursos, os poderosos Korg GadGet e SampleTank são mais eficientes se usados sozinhos, ainda que possam ser chamados dentro do AUM.


Simples, intuitivo, eficiente!

AUM - Teclas & Afins - Figura 3
Figura 3

Os aplicativos podem ser usados pelo AUM como Inter-App ou AUv3, mas este último é melhor pois, nesse caso, várias instâncias de um mesmo aplicativo podem ser chamadas. Isso torna multitimbrais aplicativos que, quando usados sozinhos, não são. Sendo multitimbrais, timbres diferentes podem ser usados simultaneamente, sendo possível criar, dentro do AUM, combinações de instrumentos em camadas ou zonas diferentes no teclado. Isso pode ser feito com aplicativos diferentes dentro do AUM, mesmo que sejam só Inter-App, mas pode-se ter esse recurso com timbres de um mesmo aplicativo se forem AUv3.

O aplicativo AUM é fácil de usar. Quando aberto, apresenta um quadro escuro e limpo (Figura 3), algo que já tranquiliza, pois não se tem aquelas dezenas de parâmetros em uma matriz multicolorida, como ocorre em DAWs convencionais que, para quem quer começar a usar, desanimam só de olhar. Pressionando o “+” no quadrado no centro da tela, há três opções: “AUDIO”, “MIDI” e “IMPORT”... (Leia mais).


Leia a matéria completa de José Osório sobre o AUM da Kymatica na edição 62 da revista digital gratuita Teclas & Afins clicando aqui!


José Osório de Souza
Pianista de formação erudita, analista de sistemas de formação acadêmica, foi proprietário de estúdio e escola de música e Suporte Técnico da Roland Brasil. Tecladista da noite, é compositor e escritor, ama história e tecnologia dos sintetizadores e samplers, mas é apaixonado por teclados vintages, blues, rock progressivo e música de cinema.


Teclas & Afins 62 - Bax & Chung

Para saber mais sobre todos os instrumentos de teclas e ficar por dentro de todas as novidades do mundo da música, acesse a revista digital gratuita Teclas & Afins, clicando aqui!

Para acessar, faça login ou se cadastre gratuitamente!

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório