ES110 O piano digital portátil e completo da KAWAI


Compartilhe!

Piano digital completo, poderoso e portátil, com tudo de que se precisa para sentir-se tocando um piano acústico: mecanismo de teclas sofisticado, timbres requintados, amplificação interna surpreendente, customização dos instrumentos conforme suas preferências, mais recursos de ritmo, gravador, bluetooth e a função “Lesson” que auxilia no estudo de partituras de piano erudito


Ligue à tomada e toque um piano! Essa é a primeira impressão ao ter em mãos o Kawai ES110. Geralmente, sinto necessidade de ligar um teclado à amplificação externa, mesmo aqueles com bons falantes internos. Mas, francamente, com o Kawai ES110 isso não foi preciso. A amplificação interna é totalmente suficiente e eficiente para fazer os timbres soarem com potência e qualidade, principalmente os timbres de piano acústico, com extensão sonora sempre mais exigente.

Existe um prazer a mais em tocar um piano digital com falantes internos bem construídos: sentimos o instrumento vibrar, ele fica vivo, como acontece em um piano acústico. E os falantes do Kawai ES110 – dois de 12 cm com 7 W de amplificação cada – não aparecem no corpo do instrumento como falantes “automotivos”, são discretos no painel e, ainda assim, poderosos.

Ter um instrumento assim em casa, na sala ou no quarto, que só precisa de uma tomada de energia, é muito prático para estudo e entretenimento. E se não quiser atrapalhar ninguém à noite, o pianista pode usar uma das duas saídas para fones de ouvidos, uma para o pianista e outra para o professor ou outro músico. Nada impede tocar teclas pesadas de um piano quando desejar.

Um instrumento sem visor, a princípio, pode parecer limitante, mas a combinação de botões do painel com teclas para acessar as funções se torna muito intuitiva, até mais fácil que caminhar em telas de menus. Rapidamente memorizamos os acessos e os fazemos sem dificuldades. Enfim, o instrumento tanto é profissional quanto simples de operar.


Timbres

Não falta nada do principal para performances musicais, seja lá qual for o estilo, em uma polifonia de até 192 vozes. Ao todo são 19 timbres, divididos em três grupos: oito pianos acústicos no primeiro grupo, três pianos elétricos mais dois órgãos no segundo grupo, e dois strings, terceiro grupo.



Dois timbres podem ser combinados em camadas em todo o teclado ou dividindo o teclado em duas regiões, com ajustes de “Transpose”, “Tuning” e “Temperament” para deixar mais confortável a região tocada, ou adequar a afinações diferentes do padrão. Piano com strings, piano acústico com piano elétrico, baixo e piano, baixo e órgão, enfim, todas aquelas misturas que o tecladista precisa para expressar, sozinho ou com banda, sua musicalidade.

Texturas suaves aplicadas a cada tecla preta e branca permitem maior capacidade de execução. Quem conhece pianos, acústicos e digitais, sabe como é importante emular aquelas características que existem no marfim e no ébano, pois alguma porosidade nas teclas ajuda os dedos a não deslizarem de forma exagerada, dando mais firmeza na performance.

O sistema “Responsive Hammer Compact (RHC)” permite resposta diferenciada e gradativa de teclas, conforme a região – pesada nos graves eleve nos agudos – como ocorre nos martelos dos pianos acústicos. 


Clique aqui e leia a matéria completa de José Osório do Souza na edição 55 da revista digital gratuita Teclas & Afins. Basta se cadastrar!


José Osório de Souza
Pianista de formação erudita, analista de sistemas de formação acadêmica, foi proprietário de estúdio e escola de música e Suporte Técnico da Roland Brasil. Tecladista da noite, é compositor e escritor, ama história e tecnologia dos sintetizadores e samplers, mas é apaixonado por teclados vintages, blues, rock progressivo e música de cinema.

Para acessar, faça login ou se cadastre gratuitamente!

Login de Usuários

8   +   8   =  
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório