UNO Synth, o primeiro synth analógico em hardware da IK Multimedia


Compartilhe!

A IK Multimedia, famosa por seus instrumentos virtuais e softwares, lança seu primeiro sintetizador em hardware


O UNO Synth foi desenvolvido por Erik Norlander (designer do Alesis Andromeda) e pela Soundmachines (desenvolvedora de synths e minimodulares). Trata-se de um pequeno módulo monofônico analógico de dois osciladores e recursos bem interessantes.

IK Multimedia UNO Synth

Fácil de operar, é um bom instrumento de entrada para quem quer iniciar na síntese analógica, mas com todos recursos necessários para criar grandes sons. O design misto de retrô e moderno não dá muito a entender que se trata de um sintetizador analógico, pois, geralmente, os fabricantes buscam um visual vintage nesse tipo de equipamento. No UNO, fizeram o contrário: o aparelho é totalmente plástico, nada de madeira ou metal, leve e pequeno. Fica claro que a intenção foi a de baratear o projeto. O lado retrô é por conta de lembrar antigos videogames e dos primeiros PCs. À primeira vista, não surpreende. Mas não se engane!

O UNO é muito portátil e a ideia das teclas touch o deixaram ainda mais portátil. É legal poder levar um módulo tão pequeno, no qual você pode criar e tocar, e, quando conectado a um controlador MIDI, ele se revelar um belo módulo synth. Apesar da aparência delicada, do tamanho pequeno e da leveza, ele tem uma sonoridade muito boa. Permite criar ótimos baixos e leads de forma simples e rápida. Digno de um bom analógico.


Modus Operandi

UNO Synth - IK Multimedia

O painel levemente inclinado tem quatro botões “touch” enfileirados verticalmente à esquerda – que dão acesso aos parâmetros dos timbres – e quatro knobs enfileirados horizontalmente – para alterar os parâmetros. No primeiro botão, se acessa aos dois osciladores independentes, com formas de onda continuamente variáveis entre Saw, Triangle e Pulse com recurso PWM. Os knobs no controle de Tune, permitem ir de “detune” micro até meio tom, e depois segue em semitons no mesmo knob, até uma oitava acima ou abaixo em cada oscilador.

O segundo botão é o filtro, que tem os modos LP (Low Pass), HP (High Pass) e BP (Bandpass Filter). Na sequência, há os knobs endereçados para o resonance, drive e “env amt” (envelope amount).

No terceiro botão ficam endereçados Attack e Decay do filtro, e Attack e Release do Amp. Um tanto diferente não ter, em sequência, AD para os dois envelopes. Acredito que os engenheiros devem ter considerado deixar esses controles “mais à mão”. Em pouco tempo mexendo no UNO o músico começa a se acostumar e entender o porquê dessa ordem um tanto diferente. Há uma lógica nessa sequência. E só tocando nele que se entende.

O quarto e último botão é o LFO. O primeiro knob seleciona as ondas – Sine, Triangle, Square, Up Saw, Down Saw, Random e Sample-and-Hold – para modular Pitch, Filter e Amp, e, nos seguintes knobs, temos Rate, Pitch e Filter.



Os três primeiros botões à esquerda do painel, enfileirados na vertical, escondem uma segunda função, bastando, para isso, segurar o botão por dois segundos e ele começar a piscar. No primeiro botão, os knobs assumem controle do mixer dos VCOs, sendo os dois primeiros para o volume dos osciladores. O terceiro é volume do ruído (noise) e o quarto é o Hold Oscilator. O segundo e o terceiro botões endereçam ADSR do VCF e do VCA consecutivamente.

Na parte inferior do painel, há um “teclado ”touch com 27 notas. Logo acima desse teclado, os botões para disparar efeitos “Dive Amount” e “Scoop Amount” (pitch), vibrato, wah e tremulo. Estes últimos três sofrem atenuação pelo Rate do LFO. O grau de intensidade de cada pode ser previamente presetado via PC pelo UNO Synth Editor. Ainda na mesma fileira temos o Hold, que serve para “segurar” uma nota, permitindo assim editar um timbre ou fazer uma performance ao vivo alterando parâmetros em tempo real.

Mais à direita, no alto do painel, há três knobs: um dedicado ao cutoff, o segundo dedicado ao ajuste de tempo para o arpegiattor/sequencer e, por fim, o volume.


Arpeggiator e Sequencer

O UNO possui um arpeggiator bem esperto. Com 10 fraseados que vão até quatro oitavas. O sequencer de até 16 compassos permite gravar em tempo real ou realizar uma edição step. (Leia mais…)


Para ler a matéria completa de Cristiano Ribeiro sobre o UNO Synth, da IK Multimedia, acesse gratuitamente a edição 60 da revista digital Teclas & Afins clicando aqui!


Cristiano Ribeiro

Pianista, tecladista, cantor, produtor e compositor, especialista em programações de sintetizadores, workstations e samplers em geral. Excursionou pela Europa e EUA acompanhando bandas e apresentando-se no formato solo. Atuou em renomadas bandas de diversos estilos, e, atualmente, é integrante da banda Rolls-Rock (http://rollsrock.com.br/). Acompanhou artistas como Altemar Dutra Jr, Beth Guzzo, Biafra, Cassio&Cassiano, Dom&Ravel, Lady Zú e outros. Compôs e arranjou trilhas para peças teatrais e grupos de dança. Produziu álbuns que vão desde o estilo gospel até musica circense.
http://soundcloud.com/cristiano ribeiro-2


Teclas & Afins 60 - Amilton Godoy Trio

Para saber mais sobre todos os instrumentos de teclas e ficar por dentro de todas as novidades do mundo da música, acesse a revista digital gratuita Teclas & Afins, clicando aqui!

Para acessar, faça login ou se cadastre gratuitamente!

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório