Festival de Música Erudita do Espírito Santo


Compartilhe!

Sob o título “Poéticas de Sombra e de Luz”, a nona edição do Festival de Música Erudita do Espírito Santo aborda negação do sofrimento e morte

Entre os dias 5 e 27 de novembro, a cidade de Vitória abrigará a 9ª edição do Festival de Música Erudita do Espírito Santo, sob a direção geral de Tarcísio Santório e Natércia Lopes. As atividades acontecerão de forma híbrida. Serão apresentados oito concertos de câmara gratuitos com público presencial, sendo quatro deles transmitidos ao vivo pela internet, assim como as duas conversas que serão realizadas por artistas e pesquisadores convidados sobre temas ligados à programação do Festival.

Segue à frente da curadoria a encenadora Livia Sabag, que apresenta a programação de 2021 como um desdobramento da edição do ano passado, na qual o Festival percorreu os limites das fronteiras físicas e simbólicas dos tempos atuais. “A pandemia continua tornando cada vez mais evidentes as grandes desigualdades existentes entre as pessoas. Não só contrastes socioeconômicos, mas também abismos nas relações interpessoais. O choque dos primeiros momentos da pandemia tem, gradualmente, cedido lugar à banalização e mesmo à negação do sofrimento e da morte”, afirma a curadora. A partir da necessidade de abordar essas questões, Livia propõe um olhar sobre a complexa dinâmica humana que surge entre pulsões de vida e de morte, através de uma programação que gira em torno do eixo temático amor e morte, circundado por outros temas relacionados, como crueldade e compaixão, guerra e paz.

Dentre os destaques do repertório, formado por obras compostas entre o final do século 19 e começo do século 21, estão a sinfonia n.14 do compositor russo Dmitri Shostakovitch, criada como um diálogo artístico com o ciclo Canções e Danças da Morte, para piano e voz, do também russo Modest Mussorgsky. Destacam-se também o quinteto para piano e cordas Canto de Amor e de Morte, do compositor português Fernando Lopes-Graça; o Quarteto para o Fim dos Tempos, do francês Olivier Messiaen, uma das mais importantes obras de câmara do Século 20; o quarteto Terra Memoria, da compositora finlandesa Kaija Saariaho; o duo de flauta e contrabaixo Valsas do Velho Testamento, da compositora egípcia Nahla Mattar; e o concerto para orquestra de cordas Canto de Amor e Paz, do compositor brasileiro Cláudio Santoro.

Além desses compositores, a nona edição apresentará composições de Sergei Rachmaninoff (Rússia), Clotilde Rosa e Joly Braga Santos (Portugal), Kilza Setti, Esther Scliar e Nathália Fragoso (Brasil), Henri Duparc, Maurice Ravel e François Poulenc (França), Dorothee Eberhardt-Lutz (Alemanha), Florence Price e Frederic Rzewski (Estados Unidos).

Célia Ottoni

Para a execução destas obras, foram convidados renomados artistas e conjuntos brasileiros, como as sopranos Eliane Coelho e Ludmilla Bauerfeldt, o baixo-barítono Sávio Sperandio, os pianistas Gustavo Carvalho, Célia Ottoni, Aleyson Scopel, Fabio Bezuti e Willian Lizardo, a violinista Gabriela Queiroz, o clarinetista Cristiano Costa, o violoncelista Jonathan Azevedo, a flautista Rúbia de Moraes, o contrabaixista Felipe Medeiros, os maestros Gabriel Rhein-Schirato e Helder Trefzger, os quartetos Bratya e Camburi, e a Orquestra Camerata SESI. Além de reger o concerto de abertura, o maestro Gabriel Rhein-Schirato integra, como consultor musical, a equipe de artistas colaboradores do Festival, ao lado da musicóloga Guilhermina Lopes, assistente de curadoria e pesquisadora convidada desta edição.

Os concertos transmitidos ao vivo terão, mais uma vez, a direção de fotografia da cineasta Úrsula Dart. Seguindo a sua tradição anual, o Festival homenageará, nesta edição, a soprano Eliane Coelho e a pianista capixaba Célia Ottoni.

A realização do evento é da Cia de Ópera do Espírito Santo (COES), da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, através da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio Master da ArcelorMittal, patrocínio do Banestes; parceria do SESI e FINDES; apoio do Hotel Ilha do Boi; apoio institucional do Governo do Estado do Espírito Santo, através da FAMES, OSES, Funcultura e da Secretaria de Estado da Cultura.


PROGRAMAÇÃO*:

05 de novembro, às 20h
(presencial e online)

ABERTURA OFICIAL DO FESTIVAL – HOMENAGENS
CONCERTO DE ABERTURA
Orquestra Camerata SESI
Gabriel Rhein-Schirato, regência
Eliane Coelho, soprano
Sávio Sperandio, baixo-barítono
Dmitri Shostakovitch (1906-1975)
Sinfonia n. 14 Op. 135


06 de novembro, às 20h
(presencial)

CANTO E PIANO
Eliane Coelho, soprano
Gustavo Carvalho, piano
Sergei Rachmaninoff (1873-1943)
Ti pomnish’ li vecher (Você se lembra da noite?)
Fontan Op. 26 n. 11 (Fonte)
Burya Op. 34 n. 3 (Tempestade)
Ostrovok Op. 14 n. 2 (Ilhota)
Vesennie vodi Op. 14 n. 11 (Águas de primavera)
Ne poi krasavitsa Op. 4 n. 4 (Não cante, oh bela, na minha frente)
Ne ver mne, drug Op. 14 n. 7 (Não acredite em mim, amiga)
Modest Mussorgsky (1839-1881)
Canções e Danças da Morte
Kolybel’naya (Canção de ninar)
Serenada (Serenata)
Trepak (Dança tradicional russa)
Polkovodets (Marechal de campo)

12 de novembro, às 20h
(presencial e online)

CANTO E PIANO
Ludmila Bauerfeldt, soprano
Fábio Bezuti, piano
Willian Lizardo, piano (participação especial)
Henri Duparc (1848-1933)
L’invitation au voyage
Au pays où se fait la guerre
Fernando Lopes-Graça (1906-1994)
O menino de sua mãe
Henri Duparc (1848-1933)
Phidylé
Fernando Lopes-Graça (1906-1994)
Onde me levas, rio que cantei
Henri Duparc (1848-1933)
Chanson triste
Maurice Ravel (1875-1937)
• Ma mère l’oye
Le jardin féerique
Pavane de la belle au bois dormant
• Trois chansons
Nicolette
Trois beaux oiseaux du Paradis
Rondelay
Francis Poulenc (1899-1963)
Priez pour paix

13 de novembro, às 20h
(presencial)

TRIO, QUARTETO E QUINTETO
Quarteto Bratya, cordas
Célia Ottoni, piano
Clotilde Rosa (1930-1917)
Trio de Cordas
Esther Scliar (1926-1978)
Movimento de Quarteto
Fernando Lopes-Graça (1906-1994)
Canto de Amor e de Morte (quinteto)

19 de novembro, às 20h
(presencial e online)

QUARTETO
Aleyson Scopel, piano
Cristiano Costa, clarinete
Gabriela Queiroz, violino
Jonathan Azevedo, violoncelo
Olivier Messiaen (1908-1992)
Quatuor pour la fin du temps

20 de novembro, às 20h
(presencial)

QUARTETO
Quarteto Camburi
Florence Price (1887-1953)
Quarteto nº 2
Kaija Saariaho (1952)
Terra Memoria

26 de novembro, às 20h
(presencial)

SOLOS E DUOS
Rúbia de Moraes, flauta
Felipe Medeiros, contrabaixo
Nahla Mattar (1971)
Waltzes from Old Testament, Op. 17/1 (flauta e contrabaixo)
Frederic Rzewski (1938-2021)
Mollitude (solo flauta)
Nathalia Fragoso (1985)
Não há (solo contrabaixo)
Dorothee Eberhardt (1952)
Zusammen (flauta e contrabaixo)

27 de novembro, às 20h
(presencial e online)

CONCERTO DE ENCERRAMENTO
Orquestra Camerata SESI
Helder Trefzger, regência
Joly Braga Santos (1924-1988)
Concerto para Orquestra de Cordas
Kilza Setti (1932)
Variações para Cordas
Claudio Santoro (1919-1989)

Canto de Amor e Paz

CONVERSAS ONLINE:
(transmitidas pelo www.youtube.com/festivaldemusica)
6 de novembro às 11h
“O amor e a morte segundo Shostakovich, Mussorgsky e Rachmaninoff”
20 de novembro às 11h
Mesa-redonda:
“Clotilde Rosa, Joly Braga Santos e Fernando Lopes-Graça – A música portuguesa no Festival de Música Erudita do Espírito Santo.”

FORMAÇÃO PRESENCIAL:
II ÓPERA-CIONAL
22 a 26 de novembro
Inscrições a partir de 01/11 no site do festival
Coordenação pedagógica: Luza Carvalho
Curso de Iluminação Cênica:
Prof. Fábio Retti
22 a 25 de novembro, das 18h30 às 21h30 e 26 de novembro, das 12 às 21h
Centro Cultural SESI (Vitória-ES)
Curso de Camareira:
Profª. Luza Carvalho
22 a 25 de novembro, das 19h às 21h
Centro Cultural SESI (Vitória-ES)

*programação sujeita a alterações


SERVIÇO

9º Festival de Música Erudita do Espírito Santo
Local: TEATRO SESI
Endereço: R. Tupinambás, 240 – Jardim da Penha, Vitória – ES
Ingressos: Todos os concertos são gratuitos, sendo que as apresentações dos dias 5, 12,19 e 27 também terão transmissões online diretamente do Youtube. (https://www.youtube.com/festivaldemusica)
Distribuição dos ingressos presenciais: Um dia antes do concerto, na bilheteria do teatro (sujeito à lotação).
Horário de funcionamento da bilheteria: das 12h às 19h.
Classificação indicativa: 10 anos
Capacidade reduzida para 150 lugares
Acessibilidade: Sim
Protocolo Sanitário: Será exigido o passaporte da vacina no acesso à sala de espetáculo. O espectador deverá estar completamente imunizado com no mínimo duas doses ou dose única (Jansen).

Para saber mais sobre todos os instrumentos de teclas e ficar por dentro de todas as novidades do mundo da música, acesse a revista digital gratuita Teclas & Afins, clicando aqui!

Para acessar, faça login ou se cadastre gratuitamente!

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório